terça-feira, 18 de maio de 2010

Espelho do mundo


Eu, espelho do mundo,
reflito sobre as coisas
que estão ao meu redor.
Tudo acontece e eu estou parado
no meio desse tiroteio de informações.
Tanta coisa há para fazer
que eu nem sei por onde começar.
Na verdade, nem comecei
e já quero parar.
Se pudesse, encurtaria o caminho
e ainda o virava do avesso.
Começaria do fim e terminaria no começo.
Tudo assim, tão rápido, tão prático.
Como se num relâmpago pudesse tudo ver
e num piscar de olhos,
viesse a cegueira total.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Vai chover

Hoje estou me sentindo bonita. Há uma hora e meia a chuva vem se formando, o tempo começa a ficar mais frio e isso me dá uma alegria imensa. A chuva vem celebrar comigo essa felicidade que insiste em fazer o meu sorriso aparecer. Não há motivo especial nessa felicidade, a não ser a constatação de que sou mulher, uma mulher por completa. Foi o Alcides que me disse isso e agora realmente acho que ele que me torna uma mulher completa. Ele diz que o próximo passo é termos filhos. Ele quer três, mas não de uma vez.

Eu sempre pensei em uma filha, uma apenas. Ela se chamaria Augusta e teria seu primeiro sutiã aos onze anos de idade. Será que seria muito cedo? Talvez. Mas eu tive o meu primeiro aos dezesseis e ainda sinto calafrios só de lembrar daqueles meninos apontando para os meus seios apenas protegidos por uma camiseta branca do colégio. Foram meses assustadores até eu chegar para meu padrasto e pedir um sutiã. Esqueci-me de dizer, minha mãe deixou meu pai porque ele bebia demais, cinco meses depois se casou com o Waldir e depois de um ano morreu após ser atingida por um carro na Rua XV de Novembro. Nessa época eu já tinha uns seis anos.


Waldir sempre gostou muito de mim, mas ele não era muito de falar, muito menos de demonstrar carinho. Mesmo assim, no dia seguinte da súplica, ele apareceu com um sutiã que disse ter comprado por três reais no mercado. Foi nesse dia que me convenci que ele era meu verdadeiro pai. Aquele alcoólatra que minha mãe deixou só tinha colocado a semente, mas esse que fazia minhas vontades era quem havia cultivado e moldado o meu caráter.

Hoje é dia de chuva. É dia de frio. É dia de sopa quente acompanhada de vinho. Hoje é dia de semear.
Ocorreu um erro neste gadget